Derecho internacional del Quijote. Derecho y Literatura en Brasil. Una recuperación bibliográfica

Igor Abdalla Medina de Souza

Don Quixote reencontra Sancho Pança: Guerra Fria,
Relaçoes internacionais e Direito internacional

Apicuri/PUC-Rio, Rio de Janeiro, 2014, 240 pp.

título origiISBN:9788583170228

 

A analogia baseada nas duas figuras de Cervantes
parece cômica e certeira, até o leitor avançar pelos primeiros capítulos de Dom
Quixote reencontra Sancho Pança: Guerra Fria, Relações Internacionais e Direito
Internacional. Nesta obra, Igor Medina de Souza nos leva por uma extensa
historiografia das relações internacionais, vista pela ótica da relação desta
com o direito internacional. Ao fim, compreende-se não só que a comparação com
o Cavaleiro da Triste Figura e seu companheiro tem por base estereótipos a
respeito das disciplinas, mas também como tais ideias são narrativas influentes
com implicações acadêmicas e políticas.

 

XXX

La obra procede de la Dissertação de Mestrado presentada em marzo de
2005 para obtención del título de Mestre en el Programa de PósGraduação em
Relações Internacionais de la Pontificia Universidade Catolica de Rio, bajo
orientación acadêmica del Dr.Franklin
Abelardo Pontes Nogueira-

El resumen concreta lo siguiente: Dom Quixote reencontra Sancho Pança
realiza uma análise em perspectiva histórica da relação entre as disciplinas
acadêmicas de Relações Internacionais e do Direito Internacional, com o intuito
de estudar a reaproximação entre as mesmas após a Guerra Fria. A análise em
perspectiva histórica destina-se a evitar que o debate interdisciplinar
pós-Guerra Fria seja mero subproduto das concepções convencionalmente
associadas à historiografia de Relações Internacionais, particularmente da
divisão da literatura da disciplina entre realistas e idealistas. Nesse
sentido, argumenta-se que, antes da reaproximação entre as disciplinas de
Relações Internacionais e do Direito Internacional, observou-se um momento
inicial de proximidade, que se estenderia desde a criação das duas disciplinas,
no final do século XIX e início do século XX, até o colapso da Liga das Nações
e a eclosão da Segunda Grande Guerra, seguido de um período de afastamento,
após o término deste conflito e o início da Guerra Fria. O estudo do debate
interdisciplinar pós-Guerra Fria que se segue à análise em perspectiva
histórica é feito com base em três teorias construídas a partir da colaboração
entre juristas internacionais e teóricos da política internacional: o
institucionalismo, o liberalismo e o construtivismo. Argumenta-se que, devido
às suas conexões com a Teoria Crítica, o construtivismo possibilita estudos
interdisciplinares mais profundos e profícuos. coeditora:outras
informações:
primeiro capitulo: região:

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

*

Related stories